Patrono 2017 - Paulo Flávio Ledur

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Depoimentos sobre a Feira do Livro de Caçapava

Fonte: Gazeta de Caçapava

Patrono e Coordenador da Feira 2017, Paulo Flávio Ledur e Pedro Vanolin.

Há mais de dez anos venho participando da Feira do Livro de Caçapava do Sul, e sempre com muito entusiasmo. Desde a primeira vez percebi que se tratava de um evento diferenciado em relação a outras feiras de livros de que participava. Percebi também que todos os anos ela apresentava aperfeiçoamentos, mas sempre manteve suas características essenciais:
  • É alegre e festiva, como são as grandes celebrações.
  • É realizada com organização profissional, mas com entusiasmo amador.
  • A comissão organizadora é formada por abnegados voluntários sob competente liderança.
  • Contempla todas as manifestações culturais, em especial a música, o teatro e a dança, mas se concentra no livro como porta-voz das demais.
  • Celebra os escritores locais sem esquecer os forasteiros, promovendo o congraçamento dos que se dedicam à arte de escrever.
  • A variedade de atrações é capaz de atingir todos os segmentos sociais, atraindo estudantes, professores, profissionais de variadas áreas e a população em geral.
  •  Os escritores e demais convidados são acolhidos com rara simpatia.
  •  É realizada com recursos financeiros mínimos, angariados com o trabalho de todos os envolvidos.
  •   É respeitada e querida de toda a comunidade.
  • Todas as atividades são realizadas com pontualidade, coisa rara em nosso país.

Por tudo isso, vida longa à Feira do Livro de Caçapava do Sul.
Muito obrigado, Caçapavanos, por terem me escolhido para patrono desse grandioso evento.
Paulo Flávio Ledur
Escritor
Patrono, Prefeito, Vereador, Feira 2017.
Paulo Flávio Ledur, Patrono da Feira 2017.


Cíntia Moscovich recebendo trofeu por Nicole
A Feira do Livro de Caçapava do Sul é, sem dúvida, um dos mais belos eventos do interior do Estado. A comunidade se envolve com vontade e alegria, e os visitantes são recebidos com entusiasmo. Para um autor que se dispõe a falar com a comunidade e a ministrar algum curso, é o melhor dos mundos mesmo. É bastante trabalho, claro, mas compensa ter a presença e a interlocução.

Um dos fatos mais fabulosos e adoráveis de Caçapava do Sul é a maneira como tratam seus cachorrinhos de rua. Eles são bem-vindos em qualquer lugar: até o posto de gasolina Pampeano adotou a Xuxa, que virou uma espécie de xodó dos eventos. Exemplo para todo o Estado!

Cíntia Moscovich
Escritora


Tenho participado de feiras de livros a alguns anos, até por que são oito livros publicados, mas gosto demais de Feira do Livro de Caçapava do Sul, por várias particularidades, entre elas o fato de parecer uma feira familiar, pois existe muita interatividade entre organização, expositores e autores, mas o que mais me encanta é por ser um das poucos que tem um espaço destinado a cada autor falar sobre sua obra.

Isso ajuda muito os escritores novos no evento e senti isso na edição de 2016, quando visitei a feira pela primeira vez. Quando acabei de explanar o conteúdo do livro “Os Chás e a Fé”, haviam quatro pessoas que não conhecia com o livro nas mãos. Afinal ninguém vende melhor o peixe do que o próprio pescador… Ninguém melhor que ele pode falar o que seu produto pode trazer para somar.

Vejo como uma feira fraterna, carismática que contempla quase todas as culturas e tudo isso lincado a “Sua Majestade o Livro”… Bom demais.

Severino Rudes Moreira
Escritor


Mais de cem pessoas trabalhando por amor à cultura!

Em sua 27ª edição, a Feira do Livro de Caçapava do Sul confirmou o que disse o escritor e ex-patrono Airton Ortiz na Rádio Gaúcha: é uma das melhores, se não a melhor do interior do Rio Grande do Sul. Não por acaso, a Câmara de Vereadores homenageou Pedro Vanolin Macedo, o seu Coordenador há uma década, pela importância dos serviços culturais prestados à cidade.

E ele soube agradecer (junto à sua equipe de trabalho) dizendo em três minutos o que todos os brasileiros precisam ouvir neste momento: somos um país vencedor, não importa os momentos trágicos que estamos vivendo. E somente a educação e a cultura (amealhada nos livros) é capaz de arejar as mentes e purificar os corações.

Até a 28ª em 2018! Parabéns a todos os moradores da cidade que lê.

Alcy Cheuiche
Escritor


“Participei com muita alegria da 27ª Feira do Livro de Caçapava do Sul. Encontrei uma cidade de leitores entusiasmados e motivados, que encontram na literatura um amigo e um lugar seguro para se expressar e mudar o mundo. Uma comunidade feita não apenas de leitores, mas de escritores – alguns recém alfabetizados, outros contando com muitos anos de vida e de arte.

Sempre me emociono ao ver eventos como esse, que contam com a participação e envolvimento de seu povo, especialmente quando essa participação ultrapassa as barreiras das escolas e alcança a sociedade em sua totalidade. Parabéns, Caçapava do Sul, por uma Feira do Livro magnífica”.

Carlos Augusto Pessoa de Brum, o Cadu, autor e ilustrador homenageado no Dia da Literatura Infantil na 27ª Feira do Livro de Caçapava do Sul

Fonte: Comissão Organizadora da Feira do Livro

A 27ª edição da Feira do Livro de Caçapava do Sul encerrou no domingo

Fonte: Provedor Farrapo

A 27ª edição da Feira do Livro de Caçapava do Sul encerrou no domingo, 21. O evento cultural reuniu centenas de pessoas no Salão Paroquial, desde o dia 12 de maio, data de início da Feira.

A programação do último dia contou com saudação aos escritores Enéias Tavares, André Zanki Cordenonsi e Nikelen Witter. Logo após, teve mesa-redonda com os escritores homenageados, abordando a série "Guanabara Real: Literatura Fantástica ambientada no Brasil".

Antes do fechamento dos estandes, também houve apresentação do Coral da Associação dos Professores Universitários de Santa Maria, com regência do Maestro Nei Beck. A atração musical encantou a todos os presentes.

Feira do Livro de Lavras do Sul é em junho

Em Lavras do Sul, a Feira do Livro será realizada nos dias 2, 3 e 4 de junho. O Patrono é o médico veterinário, Valdo Marcelo Luchsinger Teixeira, conhecido Dr. Tóti. Ele é autor dos livros "A Galocha" e "Das Lavras e Nós".

A festa literária também terá como uma das principais atrações, a presença do escritor e historiador Clóvis Bulcão. Professor do tradicional Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro, Clóvis é autor do livro: “Padre Antônio Vieira: um esboço biográfico” e da biografia “Leopoldina – A Princesa do Brasil”, sobre a qual fará palestra na Feira do Livro de Lavras do Sul.

Clique aqui e confira a participação do escritor Clóvis Bulcão no programa de Ana Maria Braga, da TV Globo, em março deste ano. Ele conta histórias da época de Dom Pedro I.

Passeio Literário com Dona Kombi

Fonte: Gazeta Caçapava

A 27ª Feira do Livro de Caçapava inovou, neste ano, com o “Passeio Literário com Dona Kombi”, percorrendo algumas escolas do município para promover a  Feira e realizar atividades de contação de histórias. 

Pensada pela comissão organizadora como uma alternativa para incentivar a leitura e auxiliar na formação de leitores, levando livros, músicas, personagens e toda ludicidade da literatura infantil para dentro das escolas, promovendo o acesso aos livros e ao mundo mágico dos contos infantis pelas crianças.

Através da SEDUC, representada por Adriana Pereira Freitas, as escolas tomaram conhecimento da “novidade” e imediatamente manifestaram interesse. 

Entusiasmados e ainda experimentando a ideia, “convocamos” as queridas professoras aposentadas, Adélia Leão de Rosso e Opalina Teixeira para serem as contadoras de histórias. Prontamente elas  assumiram divertidos papéis, como  Dona Felicidade, a Dona Maricota, a Loira da Kombi, a Dona Florzinha e outros que, assim como o famoso Pirata Paim, o dono da Kombi,  fascinaram as crianças com suas fantasias engraçadas e, principalmente, com o imenso carinho e atenção que dedicaram às crianças.

Tudo devidamente registrado e filmado. Renata Miranda, integrada também ao “Cultura Itinerante”, projeto de extensão da Unipampa, garantiu as divertidas filmagens.

Apesar de muitas solicitações e demonstrações de interesse recebidos pela equipe da SEDUC, em razão dos compromissos do proprietário da Kombi, só conseguimos visitar quatro escolas, EMEI Dionéia Soares, Instituto Municipal de Educação, EMEF Patrício Dias Ferreira e EMEI Alfredo Duarte, onde nos sentimos verdadeiros personagens de contos de fadas.

Foram recebidos com muita alegria, boa vontade e carinho, por diretores e professores das escolas que visitamos. O público, as crianças, motivadas, curiosas, receptivas. Encantadoras.

As contadoras escolheram as histórias entre os clássicos da literatura infantil, incluindo livros de Cadu  de Angélica Rizzi,  autores presentes nesta Feira.

Levaram muitos livrinhos de histórias infantis, fantasias e adereços, como óculos, chapéus, perucas, que ficavam à disposição das crianças, num espaço ao ar livre (preferencialmente). Durante os minutos iniciais, as crianças ficavam livres para fantasiar-se, tocar, olhar, observar ou ler os diferentes livros, acomodados nos tapetes e almofadas que colocadas na frente da Kombi, cedida pela  Rádio Portal FM e  conduzida pelo  Pirata Paim.

Em seguida a este momento de descontração, depois que as crianças se acostumavam e se apaixonavam pelo pirata e pelas “contadoras”, interagindo com os coleguinhas, professores e personagens, era o momento de ouvir uma história, de preferência com a participação de todos.

Pela alegre e simpática recepção de direções e professores, pela alegria e interação das crianças, pelo apoio, parceria e colaboração da SEDUC, o grupo prometeu voltar e se aprimorar com atividades lúdicas na próxima Feira.
Quem sabe até, antes disso, neste ano ainda, poderemos esticar um pouco mais os trajetos? Vivemos momentos de muita emoção, ternura e encantamento. Queremos bis.

Professora  Rosalilia S. Torres Delabary
Integrante da Comissão Organizadora da Feira do Livro

Feira do Livro tem Tour Urbano, no dia 18

Fontes:

Para olhar, contemplar e refletir sobre a história e cotidiano que o Museu Caçapavano promoveu um passeio no setor cultural de Caçapava do Sul para celebrar o Dia Internacional dos Museus, comemorado mundialmente no dia 18 de maio.

O slogan do Museu Caçapavano é “Memória, Identidade e Cotidiano” e no passeio foi tomado de sensações pelos participantes ao visitar lugares de significativo cunho histórico-cultural da cidade.

O passeio teve início na esquina efervescente na época farrapo e na primeira metade do século XX, atualmente parte das edificações em ruínas, localizada na Rua Borges de Medeiros com a Rua Sete de Setembro, onde se localiza a Casa dos Ministérios, o Club Recreativo 1° de Maio, a Casa Borges de Medeiros e a Igreja Matriz Nossa Senhora da Assunção.

A seguir, o grupo circulou no Largo Farroupilha, com vistas ao Instituto Estadual de Educação Dinarte Ribeiro e ao Clube União Caçapavana, a Praça Rubens da Rosa Guedes e visitou a parte interna da Igreja Matriz Nossa Senhora da Assunção, onde foi relembrado a recente revelação dos sinos missioneiros.

O Centro Municipal de Cultura Arnaldo Luiz Cassol e o foi o terceiro ponto de visitação, onde o grupo foi recebido pelos responsáveis da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, com explanação do Museu Municipal Lanceiros Negros.

Com o circuito das águas, que inclui a Fonte do Conselheiro, o Parque da Fonte do Mato e a Pipa do Noca, prosseguiu-se o passeio finalizando, neste ponto, com o CTG “Sentinela dos Cerros”.

O Forte D. Pedro II foi a penúltima paragem e finalizou-se o Tour com um café oferecido pelos anfitriões da Chácara do Forte.

Este evento fez parte da 27° Feira do Livro de Caçapava do Sul, teve apoio da Unipampa, e contou com a presença de representantes de projetos ligados ao setor de cultura e turismo e da educação de Caçapava do Sul e da Arquiteta e Escritora Liana Timm, que presenciou o Museu Municipal Lanceiros Negros.