Patrono 2017 - Paulo Flávio Ledur

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Escritor José Antônio Pinheiro Machado




Gazeta - Gostaríamos de falar sobre a 22ª Feira do Livro de Caçapava do Sul. Sua participação no almoço festivo Homens na Cozinha, promovido pelo Lions Clube, foi muito aguardada pela comunidade. O senhor poderia esclarecer o motivo de sua ausência? Houve algum mal entendido? A organização do evento deixou de cumprir o combinado?

Aguardamos uma resposta, pois o senhor além de ter sido patrono da feira em 2011, é reconhecido no meio jornalístico, jurídico e gastronômico. Agradecemos a atenção e contamos com sua colaboração.

 
Redação Jornal Gazeta
 
Prezados

Agradeço sua mensagem e as referências a meu respeito. Aproveito a oportunidade para dizer o quanto lamentei a absoluta impossibilidade de comparecer ao almoço festivo e ao encerramento da Feira do Livro, impedimento que foi comunicado ainda na manhã de domingo ao Sr. Pedro.

A senhora me diz que minha presença era muito aguardada. E eu lhe digo que minha família e eu tínhamos imensa expectativa, e nos preparamos muito para o almoço festivo de domingo e para o convívio na Feira do Livro: cancelamos compromissos, contornamos obstáculos aparentemente incontornáveis e fomos dormir tarde no sábado para preparar lembranças que expressassem o quanto esse carinho de vossa comunidade nos comove e nos encanta.

Caçapava do Sul tem sido uma referência permanente para mim e minha família. Terra de queridos e antigos amigos fraternos: José Antonio Severo, Remaldo Cassol e tantos outros... Todos sabem que, há vários anos, sempre encontrei espaço na agenda para atender os convites dessa comunidade tão querida, no magnífico evento Homens Cozinha e na Feira do Livro, cujo prestígio transbordou dos limites da cidade e tornou-se referência cultural obrigatória do Estado. Na Feira do Livro fui honrado com a condição de patrono em 2011, distinção que significou e significa muito para mim. Tanto que, impossibilitado de comparecer à transmissão do honroso cargo ao meu ilustre sucessor (porque não estava no País) fiz questão de gravar, junto com Alarico, um vídeo de saudação.

Domingo passado havia o irresistível convite para o almoço dos Homens na Cozinha, além do encerramento da Feira do Livro. Para ter uma idéia da importância e do respeito que Caçapava do Sul me merece, e da alegria que sempre foi para mim estar aí, basta dizer que, embora fosse o Dia das Mães, e embora minha mãe estivesse convalescendo de grave acidente, consegui harmonizar a programação e parti cedo da manhã rumo a essa inesquecível cidadela farroupilha. Como sinal eloqüente da importância dessa viagem, uma verdadeira delegação me acompanhava: o Alarico, a minha esposa Linda, a minha cunhada e colega Márcia, o meu cunhado Roberto, o meu sobrinho Cassiano e o meu sogro, o eterno vereador esteiense Helio Lutz. A viagem iniciou-se como uma verdadeira festa, com muitos presentes para os amigos que nos aguardavam. Partimos com alegria e grande expectativa para a confraternização junto à comunidade de Caçapava do Sul.

Entretanto, em meio ao trajeto, já na estrada, nos vimos na contingência de interromper a viagem, por intransponíveis motivos de absoluta força maior, de ordem particular. A comunicação, de nossa impossibilidade de seguir viagem, lamentando o inesperado, foi feita de imediato, tempestivamente, ao Sr. Pedro e ao meu amigo Cassol. E, com imensa frustração, retornamos a Porto Alegre.

A boa notícia é que já deixei combinado com o amigo Cassol que, na primeira oportunidade, VOLTAREMOS à gloriosa Caçapava do Sul.

Cordialmente,

José Antonio Anonymus Gourmet Pinheiro Machado

Nenhum comentário:

Postar um comentário