Patrono 2017 - Paulo Flávio Ledur

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Feira do Livro encerrou neste domingo(13) com muito sucesso

Especial para o Jornal do Pampa

Com o slogan “Caçapava do Sul, uma cidade que lê” a Feira do Livro ao longo dos anos tem se consolidado como um evento de porte que mobiliza cidadãos de todas as idades, classe e cor da região. Dez dias de atrações literárias e artísticas, carregados de emoção, encerrou no domingo, 13 de maio, quando também foram lembrados os dias mães e a Abolição da Escravatura no Brasil que culminou com a belíssima reverência ao Tio Cida.
 
A edição deste ano, 22°, foi dedicada aos cem anos da primeira edição do livro “Contos Gauchescos", de João Simões Lopes Neto.  Justa homenagem que teve a apresentação do filme, uma adaptação em episódios de quatro contos do livro. Produzido e dirigido por Henrique de Freitas Lima que marcou presença na feira.
 
O coordenador da feira em sua sétima gestão, Pedro Vanolin, transpira satisfação quando menciona o retorno dos escritores visitantes que elogiam o modelo de feira organizado voluntariamente por uma Comissão Cultural de Caçapavana, a calorosa recepção dos padrinhos que os acolhem e dos leitores e visitantes que os acediam. Para o coordenador o patrocínio financeiro da Prefeitura Municipal de Caçapava do Sul, da Câmara de Vereadores e Banco Banrisul foi à base propulsora do sucesso da feira.
 
Muitos momentos especiais de comoção e brilho poderiam ser mencionados em toda realização da feira como a interação e integração de todas as escolas do município, as homenagens a pessoas ilustres de Caçapava de Sul, os lançamentos dos livros de escritores caçapavanos, as exposições de artes plásticas, as oficinas literárias e a novidade deste ano que foi o Centro Cultural do FIERGS-SESI com a biblioteca itinerante que foi muito visitado.
 
Em destaque, o Patrono da XXII da Feira do Livro, professor e escritor Rivadávia Severo, sempre altivo, esteve atento e presente em todos os momentos do evento e dele é as palavras a seguir:
 
“Em nossa ótica, a XXII Feira do Livro de Caçapava transcorreu a contento. Foi cumprida a vasta programação, praticamente na íntegra, salvo os imponderáveis resultantes de imprevistos com convidados. A ocorrência de público correspondeu plenamente, em especial nos eventos vespertinos, sob a atuação das escolas e grupos independentes. Um louvor às professores, que se esmeraram em apresentar equipes bem treinadas e com coreografias aprazíveis. O teatro “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá” lotou o salão do Clube e houve perfeita interação entre o grupo teatral e a plateia. As apresentações das diversas invernadas artísticas dos CTGs sempre agradam ao público.
 
Nos eventos noturnos, não há como deixar de destacar as palestras de Dilan Camargo, abordando o tema “a poesia para crianças e jovens”; de Airton Ortiz, em especial pela manhã, quando do encontro com estudantes, incentivando a leitura como indispensável para a futura qualificação profissional; de Maria Rita, salientando a importância da conscientização das etnias; de Euclides Torres, abordando a urgente preservação do patrimônio histórico do município.
 
Os fatos de maior relevo, sem dúvidas, ficam com o 3º Prêmio Literário, ao qual concorreram quase meio milhar de inscrições, algumas do exterior e de várias outras unidades da Federação. A destacar a presença da premiada Silvana Michele Ramos, médica paraense que atravessou no país para vir receber seu prêmio como contista. O lançamento de livros de oito escritores caçapavanos foi outro ponto relevante do evento, acrescendo, assim, o acervo literário do município.
 
Finalmente, o sempre festejado almoço “Homens da Cozinha”, contribuição do Lyon Clube local e que, desta vez, acumulou com homenagem ao “Dia das Mães”. Ao fim e ao cabo, esta edição da Feira do Livro seguiu o sucesso das anteriores, fruto do empenho da Comissão Organizadora, apoiada por enorme gama de patrocinadores e colaboradores, sempre ciosa em apresentar ao público programação de quantidade, qualidade e diversidade, e que estimule a comunidade a buscar na leitura, além do prazer da boa prosa ou poesia, contribuir para o cabedal de conhecimentos gerais.”

2 comentários:

  1. Que linda festa!
    Não pude estar presente fisicamente, todavia manifesto meu contentamento em ter participado e conquistado o 3° lugar.

    Grata e parabéns a todos os participantes!

    E viva a poesia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns Karline!
      Pois Feira do Livro é a linda festa liteterária dos caçapavanos.
      E viva a poesia!

      Excluir