Patrono 2017 - Paulo Flávio Ledur

quinta-feira, 17 de março de 2016

O escritor Altair Martins

Altair Martins
No dia 24 de abril (domingo) os participantes da XXVI Feira do Livro poderão conferir a palestra e as publicações de Altair Martins. Saiba mais sobre este escritor:

Ele nasceu em Porto Alegre, em 1975. Foi chargista e ator. Bacharel em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – ênfase em tradução de língua francesa –, mestre e doutor em Literatura Brasileira na mesma universidade. Ministrou a disciplina de Conto no Curso superior de Formação de Escritores da UNISINOS entre 2007 e 2010. É professor da Faculdade de Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), no curso de Escrita Criativa.

O escritor tem textos publicados em Portugal, Itália, França, Argentina e Espanha. Ganhou, entre outros prêmios, o São Paulo de Literatura (2009, com o romance A parede no escuro) e o Moacyr Scliar (2012, com os contos de Enquanto água).
Suas principais publicações:

  • Como se moesse ferro (contos). Porto Alegre: WS Editor, 1999;
  • dentro do olho dentro (conto). Porto Alegre: WS Editor, 2001;
  • Se choverem pássaros, (contos). Porto Alegre: WS editor, 2002;
  • A parede no escuro (romance). Rio de Janeiro: Record, 2008;
  • Enquanto água (contos). Rio de Janeiro: Record, 2011;
  • Dicionário amoroso de Porto Alegre (crônica). Anajé: Casarão do Verbo, 2013;
  • Terra avulsa (romance). Rio de Janeiro: Record, 2014.


Prêmios:


  • 1º lugar no Prêmio Guimarães Rosa, em 1994, organizado pela Radio France Internationale, com o conto Como se moesse ferro;
  • 1º lugar no Prêmio Guimarães Rosa, em 1999, organizado pela Radio France Internationale, com o conto Humano;
  • 1º lugar no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba, em 2000, com o conto Sol na chuva à noite;
  • Menção Especial do júri no Prêmio Cidade de Amora, em Portugal, 2000, com o conto Ira das Mães;
  • 1º lugar no Prêmio Luiz Vilela, promovido pela UEMG, em 2000, com o conto dentro do olho dentro;
  • Prêmio Açorianos, categoria contos, com o livro Como se moesse ferro, 2000;
  • Finalista do Prêmio Jabuti, 2001, categoria contos e crônicas, com o livro Como se moesse ferro;
  • 1º lugar no Concurso Nacional de Contos Josué Guimarães, 2001, com os contos Teatro de Varais, café com açúcar: café com sal e Esconder vestígios;
  • Finalista do Prêmio Jabuti, 2003, categoria contos e crônicas, com o livro Se choverem pássaros;
  • Destaque ficção pela Rede Record/Correio do Povo da 54ª Feira do Livro de Porto Alegre com o romance A parede no escuro;
  • Prêmio São Paulo de Literatura 2009 com o romance A parede no escuro.
  • Finalista do Prêmio Jabuti, 2009, categoria romance, com o romance A parede no escuro;
  • Prêmio AGES (Associação gaúcha de escritores) para melhor romance de 2009 com A parede no escuro;
  • Prêmio Açorianos, categoria narrativa longa, 2009, com o romance A parede no escuro;
  • Prêmio Açorianos, livro do ano, com o romance A parede no escuro.
  • Finalista do Prêmio Jabuti, 2012, categoria contos e crônicas, com o livro Enquanto água;
  • Prêmio Açorianos, categoria contos, com o livro Enquanto água, 2012.
  • Prêmio Moacyr Scliar, 2013, com o livro Enquanto água;
  • Prêmio AGES 2015 com o romance Terra Avulsa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário