Patrono 2017 - Paulo Flávio Ledur

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Patrono Airton Ortiz faz uma avaliação da 23ª Feira do Livro


Por Jornal Gazeta de Caçapava

O patrono da 23ª Feira do Livro, o jornalista, aventureiro e escritor, Airton Ortiz, faz uma avaliação da 23ª edição da Feira do Livro, onde destaca dois aspectos importantes, o político e cultural.

Político pelo fato da feira ser uma atividade organizada pela comunidade, que se une por um objetivo comum e em busca desta realização, exerce plenamente a cidadania. E cultural por que, segundo ele, Caçapava está mesmo se tornando uma cidade que leitora, não é apenas um slogan que foi adotado.

- O individualismo é tão grande que é raro ver um movimento coletivo, em cima de uma única proposta. As melhores feiras são aquelas organizadas pela comunidade e a de Caçapava é uma das melhores do Estado - disse Ortiz.
O escritor conta que na maioria das vezes, os escritos autografam de maneira informal, porque as pessoas não têm o hábito de adquirir livros.
- A primeira vez que estive em Caçapava, há uns cinco anos, autografei com o escritor Alcy Cheuiche. Lembro que a mesa estava ocupada e ele, logo após a palestra, tratou de desocupar e disse “agora nós vamos autografar”. Para minha surpresa, duas filas formaram-se diante de nós. Esta é a quarta vez que sou convidado pela comissão e aqui é um dos poucos lugares em que o escritor autografa livros. Recebi algumas mensagens, pelas redes sociais, de pessoas que adquiriram meus livros durante o evento, já leram e agora vão emprestá-los.

Sobre o convite para ser patrono, Airton Ortiz disse que isso representa a maior demonstração de carinho que a comunidade pode fazer pelo autor.
- Normalmente as pessoas valorizadas são as celebridades, fruto da mídia. Dificilmente pessoas ligadas a cultura. O patrono deve corresponder a esse gesto, então sempre que posso, permaneço na cidade para cumprir a função cultural que é juntar-se a cidade para promover a cultura. Além dos quilos extras, vou levar destes dez dias a convivência com as pessoas, a troca de afetividade e de carinho, o que nos torna mais humanos. O contato direto com pessoas que não fazem parte do nosso dia a dia só nos acrescenta - afirmou Ortiz.

O escritor está concluindo o livro Atenas, que deverá ser entregue para a editora na próxima semana e lançado na feira do livro de Porto Alegre, que acontece em outubro. A obra reúne crônicas sobre a capital da Grécia e faz parte da coleção Expedições Urbanas. No segundo semestre, inicia as viagens para Paris, desta vez com olhar voltado para seu próximo livro, que pretende lançar em 2014. Depois, o autor irá se dedicar a um romance. A ideia é a cada três livros, escrever um romance, sempre dentro do tema viagem.

Legenda: Para o patrono Airton Ortiz, Caçapava realmente é uma cidade que lê.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário